Belas máscaras, tristes vidas – Sabá Liberal

Publicado em 12 julho 2016

36Certamente você conhece um ditado popular que diz: Por fora bela viola por dentro pão bolorento.

Vivemos hoje numa sociedade doente, onde na maioria das vezes não sabemos quem realmente esta doente e como realmente eles estão, porque a ordem é: Finja que tudo esta bem, finja que você é ou então finja que você não é. Minta, negue até o fim, esconda, diga que não foi você, impressione com suas belas máscaras.

Somos espectadores todos os dias de reportagens, envolvendo homens que deveriam ser modelo e referencial nesta nação, envolvidos em trapaças, jogo sujo, corrupção. A imprensa mostra um pacote de provas, mas assim mesmo o individuo vai para frente de uma câmera e diz isto não é verdade, e afirma: “Eu sou inocente”, “Nunca fiz isso” “não mandei e não sei do que se trata”

Alguns valores como transparência, honestidade, autenticidade integridade e verdade, caminham para a extinção.

Ser transparente, conhecido, verdadeiro é um estilo de vida cada vez mais raro nos nossos dias, pois vivemos numa sociedade que aprendeu camuflar, esconder, mentir, trapacear, fingir, aparentar, por isso eu digo que a profissão que esta em alta nos dias de hoje é a de ator.

Como já mencionei valores como: honestidade, verdade, confissão, transparência estão cada vez mais escassos. Muitos desses valores estão até mesmo em extinção. O que vemos, por conseguinte, é o crescimento da mentira, da hipocrisia e da falsidade.

O que temos visto na televisão e em todos os tipos de mídia são escândalos envolvendo autoridades e pessoas que deveriam ser um exemplo a ser seguido, mas que infelizmente estão fazendo coisas erradas e ilícitas e depois negam na frente das câmeras.

O que me impressiona é como eles têm uma “cara de pau” tão grande, que mesmo que existam vídeos e gravações, que provam e revelam que aconteceu, eles continuar negando e jurando inocência.

Por que é tão difícil assumir que erramos?  Por que quase não se ouve alguém falar assim: eu reconheço que errei, eu admito que fiz,  eu assumo que fui eu.

Sem duvida alguma, errar é bem mais fácil do que confessar e assumir o erro. A verdade é que para muitos o caráter íntegro e irrepreensível está fora de moda.

A Queima de arquivo, mentir, negar, fazer o que possível para esconder o erro, subornar  é visto hoje como o certo a ser feito  diante de uma investigação ou acusação , e quem não faz assim, esta sendo desmiolado, incompetente e sem sabedoria.  Numa linguagem bem popular, esta sendo otário.

Pessoas desse tipo são capazes de subornar quem quer que seja para esconder as provas tão claras, encontradas na investigação. O pior é que essas pessoas, cuja conduta deveria ser referencial de honestidade passam a ser admiradas por sua capacidade de trapacear e burlar o sistema. Um dos piores males de toda essa malandragem é que tal postura forma a cultura e os valores das próximas gerações. Pois fica a ideia que todo mundo faz e o que era errado passa ser o normal. Então  esse estilo de vida mascado, onde mentir, enganar, ser falso torna-se um estilo de vida aceitável começa influenciar todos os níveis da sociedade e esse comportamento pode ser encontrado não só no congresso ou entre os políticos, ou entre aqueles que gozam de posição de autoridade na sociedade,  mas  infelizmente também podemos encontrar entre as pessoas que se dizem cristãs, e o pior, entre pastores e líderes ou seja no meio da igreja de Jesus, a coluna e baluarte da verdade.

É Lamentável dizer, mas Infelizmente existem ainda muitas pessoas vivendo de aparência, negando a realidade sobre as suas próprias vidas. Tapando suas falhas e erros com máscaras de bons crentes, com máscaras de piedade e santidade.

São crentes que andam cheios de segredos nunca revelados, de pecados escondidos, pessoas que dizem e aparentam ser o que não são.

Talvez você tenha dificuldade de acreditar, mas existem milhares de pessoas congregando nas igrejas evangélicas, que ainda possuem uma vida dupla, pecados bolorentos de anos que nunca vieram a luz e que nunca foram confessados e tratados, E, por conseguinte vivem um ciclo de rotina: peca, sente-se culpado, pede perdão de Deus, peca de novo. Esso tipo de vida cristã, mais cedo ou mais tarde desemboca numa situação critica, de cinismo, cauterização da consciência que por sua vez leva para o que a bíblia chama de naufrágio da fé.

Infelizmente isso só as empurra para uma vida de mais pecado, de mais derrota e de mais hipocrisia. Pois eles esquecem que pecado é como gravidez, logo manifestará é só uma questão de tempo e só precisa de um ambiente ideal um útero, e a falta de transparência é esse útero perfeito.

Aprendi uma frase com o Pastor Lucas, fundador da missão PAZ. Ele dizia “a única pessoa impossível de ser ajudada é pessoa que escolhe viver na mentira”.

É impossível ajudar um mentiroso porque, quando confrontado em seus erros, ele nega. Quando questionado sobre sua situação ele sempre diz que esta tudo bem em sua vida. Não existe restauração para quem escolhe esconder a verdade e se esconder atrás de uma mentira.

Do Livro: TRANSPARÊNCIA  “A NOBREZA DECISÃO DE VIVER SEM MÁSCARAS”


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Sugestão de Leitura
Enquete

Deus pode usar a doença para provar uma pessoa?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...
Lista de Links
Copyright 2007-2012, Jota7.com - Todos os direitos reservados.